VOLTAR

Trinta pessoas são presas em operação de combate ao garimpo ilegal em reserva ambiental de RO

G1 - http://g1.globo.com/
Autor: G1 RO
17 de mai de 2019

Trinta pessoas são presas em operação de combate ao garimpo ilegal em reserva ambiental de RO
17/05/2019 20h34

Por G1 RO

Detidos foram conduzidos à Delegacia da Polícia Federal, em Guajará-Mirim. Essa é a segunda ação realizada durante a semana no norte do estado.

O Exército, junto a vários órgãos, realizou nesta semana uma operação de combate ao garimpo ilegal no Parque Nacional Mapinguari, em Rondônia. Ao todo, 30 pessoas já foram presas pela Polícia Federal (PF).

A operação, intitulada "Ajuricaba IV", teve início na última terça-feira (14) e terminou nesta sexta-feira (17). Na ação, o 54ª Batalhão de Infantaria e Selva (BIS) realizou o patrulhamento fluvial na calha do rio Madeira.

Os detidos, 26 homens e quatro mulheres, foram conduzidos à Delegacia da Polícia Federal, em Guajará-Mirim (RO), distante cerca de 330 quilômetros de Porto Velho.

Além disso, 13 autos de infração foram elaborados, totalizando R$ 701 mil. Duas pequenas áreas de acampamento também foram destruídas.

Entre os materiais apreendidos estão dez dragas, uma balsa, 1,2 mil ml de mercúrio, turbinas e motores a diesel, duas motosserras, duas espingardas calibre 32 com munição, quatro galões com óleo diesel e de ferramentas de garimpagem.

Todo o material apreendido foi encaminhado à sede do Instituto Chico Mendes de Biopreservação (ICMBio) na capital rondoniense.

Entre os órgãos que prestaram apoio está a Marinha do Brasil, a Polícia Militar Ambiental de Rondônia (PMA-RO) e a Força Nacional.

Essa foi a segunda operação para desmonte da prática ilegal de garimpo no norte de Rondônia. Em outra, 19 pessoas foram presas em flagrante durante a ação denominada Ouro Fino, no rio Madeira.

https://g1.globo.com/ro/rondonia/noticia/2019/05/17/trinta-pessoas-sao-…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.