VOLTAR

Tribo no Pará sofre com malária e barata

A Crítica
16 de nov de 1995

Crescem os casos de malária entre os índios Munduruku, em Jacareacanga. Também é grande a incidência de hepatite, verminoses, diarréia infecciosa, conjuntivite e gripe. Missionários do Cimi e Funai explicam que o aumento das doenças decorre da alta concentração de garimpos no Rio Tapajós. A malária também atacou fortemente toda a tribo Paracanã, que sofre também com a invasão de milhares de baratas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.