VOLTAR

Secretário dos povos indígenas desconhece conflito no Juruá

A Tribuna
30 de set de 2007

Uma investigação foi realizada pela Secretaria Estadual dos Povos Indígenas, coordenada por Francisco Pianco, que buscou saber sobre uma possível desavença entre duas famílias da Aldeia Caxinauá, situada no Rio Breu, Alto Juruá. Os relatórios dessa minuciosa investigação apontam para especulações.

O secretário Francisco Pianco afirmou ontem, após contatos com a Funai, com a Polícia Federal e com a organização dos povos indígenas, inclusive com a Funasa que mantém uma equipe na aldeia dos caxinauás, que essas entidades não têm conhecimento dessa denúncia de possível desavença entre os índios caxinauás.

Francisco Pianca disse ainda que retornou na quinta-feira de Cruzeiro do Sul, onde também manteve contato com o movimento e com as lideranças indígenas que estavam lá, inclusive, com o pessoal do Breu e afirmaram desconhecer a existência de desavença entre os índios caxinauás, conforme denúncia do vice-prefeito de Jordão, Siã Kaxinawá, que também é cacique da tribo.

Segundo o secretário, o presidente da associação dos caxinauás do Rio Breu, veio ontem do município de Marechal Thaumaturgo para Cruzeiro do Sul, de onde se deslocará para Rio Branco para participar de um encontro e também afirma que não existe nessa aldeia uma situação dessa natureza entre os índios caxinauás.

"Estou aguardando dele um documento oficial como presidente da associação para poder divulgar a mensagem, a partir dele mesmo, que é o representante daquela comunidade indígena do Rio Breu", explicou o Francisco Pianco.

O secretário fez questão de destacar que, ao tomar conhecimento da denúncia por meio da imprensa, de imediato, tomou todas as providencias, verificando com a Funai, Uni e outros órgãos, como Polícia Federal e até mesmo a Funasa, a procedência ou não da denúncia feita pelo vice-prefeito do Jordão, Siã Kaxinawá , e não houve nenhuma confirmação dos fatos que foram enunciados pelo Siã.

Francisco Pianca acrescentou que, se essa informação que o Siã Kaxinawá está afirmando é importante, que ele mostre isso, que é para poder, até mesmo, nós, do Estado, tomar conhecimento.

"Não estou aqui tentando esconder, só estou dizendo o que conheço do que foi afirmado através da comunidade que nada disso está acontecendo. Então estou aguardando um documento da comunidade para passar para os órgãos, isso que o cacique Siã Kaxinawá está denunciando na imprensa", concluiu o secretário dos Povos Indígenas, Francisco Pianca.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.