VOLTAR

Saúde precária na família Soares

Zero Hora-Porto Alegre-RS
Autor: Carlos Wagner
07 de jan de 2002

Há pelos menos dois anos, sempre um dos cinco filhos da caingangue Rosane Soares sofre de problemas intestinais causados pela água contaminada que bebe na Reserva Indígena de Nonoai.

- Nos ensinaram a fazer soro caseiro. Mas não funciona bem usando a nossa água, mesmo que seja bem fervida. Só funciona quando utilizamos a água da chuva - explicou.

Recorda que o problema com a água vem se agravando nos últimos 12 anos. Diz que, quando o primeiro filho, Jandir, 14 anos, era pequeno, as diarréias provocadas pela água praticamente não existiam. Hoje, ela teme pela sorte de Joceline, um ano. O bebê apresenta problemas de saúde constantemente.

- Com a chegada do verão, as crianças começam a sofrer mais com as doenças - preocupa-se.

No ano passado, quando houve um período de estiagem na reserva, Rosane andava horas e horas dentro das matas em busca de água pura para os filhos. Fazia isso porque a nascente que abastece sua área estava praticamente reduzida a lodo, onde as pessoas escavam em busca de água para beber e para outras necessidades.

Neste ano, ela acredita que o verão será chuvoso, pelo que escutou no rádio. Se for assim, seu único trabalho será colocar um balde debaixo de calha de água.

- Aqui a chuva não faz apenas bem para a plantação. Também livra nossos filhos das doenças causadas pela água ruim - afirmou.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.