VOLTAR

São Paulo ganha parque na represa de Guarapiranga

ISA - www.socioambiental.org
26 de mar de 1999

Com 260 hectares, parque será inaugurado dia 3 de abril, incorporando parte das várzeas dos rios Embu-Mirim e Piraporinha.

São Paulo ganha, dia 3 de abril, um novo parque, ampliando as opções de lazer dos que moram no região sul da Capital. São 260 hectares de área às margens da Represa de Guarapiranga, incorporando parte das várzeas dos rios Embu-Mirim e Piraporinha.

Com a denominação de Parque Ecológico do Guarapiranga, esse novo espaço será implantado pela Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo e constituirá um instrumento de proteção e preservação da fauna e flora existentes no local, além de representar um importante papel no desenvolvimento de atividades de educação ambiental.

Para isso, dispõe de salas paras os técnicos das áreas de fiscalização da SMA e dos membros da Polícia Florestal e de Mananciais. Dispõe ainda de viveiros e estufas para a produção de mudas, para reflorestamento do próprio parque e para atender o público em geral, e de um espaço para exposições de plantas.

Ao mesmo tempo, desempenhando a função de parque urbano, oferece oportunidade de recreação e lazer, com quadras de esporte e áreas de recreação infantil, como o Parque de Aventuras onde se encontram os brinquedos. O estacionamento tem capacidade para 450 carros e dez ônibus.

O parque terá uma reserva de aproximadamente 110 hectares, onde é possível distinguir matas, capoeiras, campos, várzeas e áreas brejosas, onde foram realizados trabalhos de repovoamento e enriquecimento vegetal nos ambientes mais alterados pela ação humana. O visitante poderá percorrer várias trilhas, como a do Morrão, com 12 Km, da Garça, com 7 Km, e das Vacas, com 3,5 Km, onde encontrará espécies remanescentes de Mata Atlântica, como maricá, embaúba, aroeira mansa e manacá-da-serra, entre outras.

Haverá, ainda, uma zona de uso restrito de quase 80 hectares, na várzea do Rio Embu-Mirim. Com acesso vedado ao público, a área, que constitui um ecossistema extremamente frágil, poderá receber pesquisadores, mediante autorização da Secretaria do Meio Ambiente.

Qualidade ambiental

O Parque Ecológico do Guarapiranga foi construído dentro do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Guarapiranga, com investimentos totais de US$ 262 milhões. Desse total, 10% foram aplicados pela SMA para implantação de parques, áreas verdes e mata ciliar ao longo de diversos rios e córregos.

Já foram entregues os Parques da Represinha e de Itapecerica da Serra, em Itapecerica da Serra, e o Parque da Várzea do Embu-Guaçu, em Embu-Guaçu, e o Parque da Ilha dos Eucaliptos, com área de 35 hectares, onde vive uma fauna composta por macacos-prego, tatus, veados, capivaras e diversas espécies de aves. Neste início de ano, além do Parque Ecológico do Guarapiranga, será entregue também o Parque do Lago Francisco Rizzo, no Embu das Artes.

O Parque da Represa do Guarapiranga foi criado pelo Decreto Estadual no 30.442, de 20 de setembro de 1989; em 1991 o arquiteto Carlos Maximiliano Fayet venceu o concurso nacional de idéias. Embora os recursos do Banco Mundial já estivessem disponíveis, só em 1995 o Parque começou a tomar forma efetivamente, quando o governo Mário Covas retomou o Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Guarapiranga com total prioridade.

http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=984

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.