VOLTAR

REPRESENTANTES DO CIMI DENUNCIAM DEGRADAÇÃO AMBIENTAL DAS PCHS DE CASSOL NA RESERVA INDÍGENA TUPARI EM BRASÍLIA

Rondoniagora-Porto Velho-RO
13 de mar de 2003

Representantes do Conselho Missionário Indigenista (CIMI) estão em Brasília para apresentar o manifesto da tribo Tupari, tirado durante reunião no domingo na linha 47,5 em Alta Floresta do Oeste, às autoridades federais, denunciando a degradação ambiental, dizimação de índios e mortandade de peixes no Rio Branco, única via de transporte e de sustento da reserva dos silvícolas, patrocinada pela Pequena Central Hidrelétrica (PCH) da família Cassol. Três máquinas estão em funcionamento, inclusive desviando parte da bacia para o Rio Vermelho, garantindo o fluxo de água para outra PCH. O Ministério Público Federal tem um dossiê sobre o assunto, mas ainda não apresentou denúncia ao Poder Judiciário, embora já tenha havido três mortes de crianças indígenas e um agricultor foi eletrocutado. No próximo dia 18, o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) inicia uma jornada de luta em Ji-Paraná, em local ainda indefinido, para tratar de várias questões, entre elas, a degradação da PCH do governador Ivo Narciso Cassol.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.