VOLTAR

Promotor pede proteção a índios acampados

Correio do Povo-Porto Alegre-RS
25 de jan de 2002

Inspeção constatou situação precária às margens da RS 786

Durante a visita, na manhã de ontem, aos índios caingangues de Iraí e Nonoai acampados junto à RS 786, no município de Imbé, o promotor de Justiça da Defesa Comunitária de Tramandaí, Amílcar Fagundes Freitas Macedo, constatou a precária situação dos indígenas. 'Há perigo à integridade física pela inexistência de acostamento', afirmou. Ele recomendará à prefeitura que desenvolva uma campanha médico-odontológica para as famílias e que providencie recipientes para lixo e a sua coleta. O promotor ainda solicitará ao Conselho Estadual dos Povos Indígenas o aumento de dois para seis banheiros químicos, alimentos para complementar, principalmente, a dieta das cerca de 50 crianças, lonas, três chuveiros e mais quatro pontos de água potável. Em contato com a direção regional da CEEE, Macedo também pediu a instalação de quatro pontos de luz na área. Ele pretende acionar a União, através do Ministério Público Federal. 'A Funai é omissa', criticou. No domingo, um menino caingangue foi atropelado ao atravessar a rodovia para pegar um presente oferecido por pessoas que estavam em um automóvel.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.