VOLTAR

Producao de palma tem certificado de qualidade

GM, Agribusiness, p.B10
14 de jan de 2004

Produção de palma tem certificado de qualidade

Pela primeira vez no mundo, uma agroindústria de palma recebe de uma vez os certificados de qualidade (ISO 9001), de meio ambiente (ISO 14001) e de segurança e saúde ocupacional (OHSAS 18001). O Grupo Agropalma, que há 20 anos vem investindo no Pará e hoje é o maior produtor de óleo de palma do país, acaba de conseguir esses certificados para todas as suas áreas de atuação no Estado, desde o plantio e a extração do óleo até sua refinaria e unidade de acondicionamento de gorduras. "A conquista das três certificações, agora englobando todas as atividades do grupo, reafirma aos mercados nacional e internacional consumidores de óleo de palma o compromisso da Agropalma com a rastreabilidade de seus produtos, meio ambiente e bem estar da sociedade", afirma o diretor comercial da empresa, Marcello Brito. Segundo ele, o fato ganha maior relevância pelo fato da Agropalma estar implantada na região amazônica e empregar no campo a maioria de seus 2,8 mil funcionários. Graças a um investimento de R$ 3 milhões, a empresa conseguiu ampliar a certificação integrada, que já havia sido concedida ano passado para sua unidade industrial da Companhia Refinadora da Amazônia (CRA), para toda a cadeia, que inclui plantio, colheita, extração, transporte, produção e comercialização. Depois de auditorias preliminares, a empresa fez 94 adequações para atender aos requisitos das normas, entre elas a contratação de um fornecedor de refeições certificado com o ISO 9001, a construção e um novo ambulatório médico e novos alojamentos para 440 funcionários. Outra medida tomada pela Agropalma foi, através da aquisição de novos equipamentos, passar a monitorar a emissão de gases e partículas durante o processo industrial, evitando os impactos ambientais. E implantou um programa de coleta seletiva de lixo, além de aperfeiçoar seu sistema de tratamento de resíduos. Agentes multiplicadores e auditores internos foram formados, contando com o apoio de um corpo técnico de engenharia de segurança. A Agropalma possui área de plantio e extração de 32 mil hectares nos municípios paraenses de Tailândia, Acará e Moju. Incluindo a refinaria instalada em Belém, a empresa investiu US$ 150 milhões, devendo chegar a US$ 180 milhões até 2005. De acordo com Marcello Brito, trata-se do maior investimento que uma instituição de capital privado nacional já realizou em cultura de palma na América Latina.

GM, 14/01/2004, p. B10

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.