VOLTAR

A prevenção e combate as queimadas na Terra Apinajé

Associação União das Aldeias Apinajé - PEMPXÀ - www.uniaodasaldeiasapinaje.blogspot.com.br/
04 de ago de 2015

Pelo segundo ano consecutivo a Brigada Apinajé está atuando na prevenção e combate aos focos de incêndios e queimadas na Terra Apinajé, localizada nos municípios de Tocantinópolis, Maurilândia, São Bento do Tocantins e Cachoeirinha no Norte do Tocantins.

Este ano essa Brigada do PREV FOGO foi ampliada de dois para quatro esquadrões. No total são 28 Brigadistas que se revezam semanalmente realizando atividades de campo dentro dos limites de 141.900 há da terra Apinajé.

Até o momento não temos informações concretas de quantos focos de incêndios foram combatidos na área Apinajé. No entanto, em relação ao mesmo período do ano passado observamos uma significativa queda das ocorrências de fogo no cerrado, matas ciliares e florestas de transição.

Os Brigadistas também realizam queimadas controladas. E nesse período estão orientando e realizando a queima de roçados e outras áreas de risco que efetivamente precisam de controle para o fogo não se espalhar.

No entanto notamos que faltam melhores estruturas de comunicação (radiofonia) para facilitar o trabalho de monitoramento, prevenção, controle e combate às queimadas na Terra Apinajé realizado pela Brigada.

Nesse período crítico que vai de julho a setembro esperamos contar com a participação e colaboração das autoridades dos quatro municípios que fazem parte da terra Apinajé no sentido de apoiar o trabalho dos mesmos.

É importante a coparticipação dos proprietários (vizinhos) não-índios que também podem ajudar prevenir e combater os focos de fogo em suas propriedades, evitando que se propaguem para a Terra Indígena.

Terra Apinajé, 04 de agosto de 2015

Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ

http://uniaodasaldeiasapinaje.blogspot.com.br/2015/08/a-prevencao-e-com…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.