VOLTAR

Presidente do Ibama ouve indígenas ligados ao CIR

Folha de Boa Vists-Boa Vista-RR
27 de fev de 2003

O presidente Ibama, Marcus Barros, reúne-se hoje, às 14 horas, na sede do Conselho Indígena de Roraima (CIR), com as lideranças indígenas para discutir a atuação do órgão em Roraima e a conservação e a proteção ambiental nas áreas demarcadas ou em processo de reconhecimento.
Líderes do CIR e da Apirr (Associação dos Povos Indígenas de Roraima) vão relatar sobre a degradação ambiental no Morro do Quiabo, em São Marcos, Pacaraima, reclamar contra s lavouras de arroz, na Raposa Serra do Sol, e a invasão garimpeira na área Yanomami. Na pauta também consta a instalação de lixões no interior das aldeias e a sobreposição de Unidades de Conservação em terras indígenas.
A Apirr quer uma postura decisiva de Marcus Barros na solução dos crimes ambientais no Morro do Quiabo, município de Pacaraima. Vão dizer que populares são incentivados pela Prefeitura a invadir e desmatar a floresta dentro da terra São Marcos, homologada desde 1993.
Já o CIR vai pedir uma solução urgente para os supostos crimes ambientais praticados pelos arrozeiros nas várzeas dos rios Surumu e Cotingo, como desmatamento e uso indiscriminado de agrotóxicos.
Os tuxauas vão cobrar mudanças profundas no Ibama e como argumento vão dizer que órgão local se associou aos interesses antiindígenas locais, autuando os índios pela utilização de recursos florestais para sua subsistência se omitindo em relação aos grandes impactos ambientais causados pelos latifundiários e madeireiros.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.