VOLTAR

Posto Indígena da Funai e aldeias combatem madeireiros em Rondônia

Funai - www.funai.gov.br
Autor: Simone Cavalcante
20 de set de 2002

A exploração ilegal de madeira no interior da Terra Indígena Rio Branco, no sul de Rondônia, próximo à fronteira com a Bolívia, está ameaçando as aldeias dos índios Tupari, Macurape, Jabuti, Aruá, Aricapu e Campé. Segundo o chefe de posto da Funai na Terra Indígena Rio Branco, Rieli Franciscato, a Funai está se reunindo com as comunidades das seis aldeias para desenvolver um trabalho de conscientização e impedir que alguns índios autorizem a entrada de madeireiros.

Segundo Franciscato, o mogno já está extinto na região e agora, os madeireiros estão explorando ilegalmente a cerejeira, o ipê e outras madeiras com valor no mercado. "Infelizmente, alguns índios foram sendo convencidos pelos madeireiros de que a derrubada da mata traria vantagens. Hoje, as comunidades sentiram na pele de que ela só prejudicou e empobreceu as aldeias e estão dispostas a mudar a situação", explicou o indigenista, que fica a maior parte do tempo na mata com os índios.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.