VOLTAR

Posição da COIAB sobre publicação a respeito da Coica: o movimento indígena
Amazônico

Coiab - http://www.coiab.com.br/
04 de jun de 2009

A COIAB - Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, tomou
conhecimento das publicações sobre o movimento indígena Amazônico, em especial sobre a COICA - Coordenadora das Organizações Indígenas da Cuenca Amazônica, suas organizações membros, suas lideranças e por conseqüente os Povos Indígenas amazônicos. Como princípio e pela dignidade dos Povos Indígenas a COIAB resguarda o direito de expressar sua posição conforme descrito a continuação:

A COICA:
Criado no I Congresso realizado na cidade de Lima, Peru, em 14 de Março de 1984 e
atualmente composta por organizações nacionais e ou regionais dos nove países Amazônicos: CIDOB - Bolivia, COIAB - Brasil, OPIAC - Colombia, CONFENIAE - Ecuador, APA - Guyana, FOAG - Guayana Francesa, AIDESEP - Perú, OIS - Suriname e ORPIA - Venezuela. Em um universo de 390 Povos Indígenas, uma população de 2.779.478 habitantes, vivendo em parte dos 10.268.471 km2 da Amazônia.

Por ser uma iniciativa e idealizada pelos Povos Indígenas e liderada nesses 25 anos por nossos lideres como Evaristo Nungkuag Ikanan, Valerio Grefa Uquiña, Antonio Segundo Jacanamijoy, Sebastião Haji Alves Rodrigues Manchineri, Egberto Tabo Chipunavi conjuntamente com demais lideres de Povos e Organizações Indígenas da Bacia Amazônica, os quais têm prestado imensuráveis contribuições ao conjunto dos Povos Indígenas em sua continuidade como tal, as garantias de nossos direitos humanos, territoriais, sociais, econômico, espirituais, a representação por nós mesmos em diversos fóruns e instancias nacionais e internacionais, entre outros. Resultados que credencia a COICA a receber nossa gratidão e respeito por sua árdua missão de defender legitimamente os Povos Indigenas e por nossas conquistas coletivas.

Por tanto a COICA tem o dever e a legitimidade de representar e defender nossos princípios e valores em qualquer parte do mundo seja em organismos governamentais, internacionais, da sociedade civil, entre outros. E sobre seu funcionamento e os temas indígenas seja em níveis interno ou externo, a COICA conta com seu sistema organizacional e suas instâncias de deliberações e decisões, que em seu seio deve ser tratado sem interferência de atores externo, pois a COICA é nossa instancia em nível internacional e assim deve ser fortalecida.

A Aliança Amazônica:

Criada por iniciativa de setores ambientalista e lideranças indígenas com o propósito de defender o meio ambiente e apoiar os povos indigenas na defesa da floresta Amazônica e de seus direitos. O que a princípio foi constituída como uma coalizão entre ONGs ambientalistas e a COICA pelos povos indígenas amazônicos.

Na medida em que se propões institucionalizar juridicamente e transformada em Aliança Amazônica, assume um papel de intermediário e disputa de espaço político e de recursos econômicos, assim como ter uma prática de substituir a própria COICA na medida em que a Aliança Amazônica estabelece uma relação direta com as organizações membros da COICA e com diferentes informações e conteúdo. Fator que gera e fortalece os conflitos internos no âmbito do movimento indígena Amazônico.

Relatório final do Escritório de Coordenação da Aliança Amazônica 29 de maio de
2009:

Ficamos surpresos pela arrogância, desrespeito aos Povos Indígenas, começando pelo título do informe, "Construindo um Verdadeiro Movimento Amazônico". A COIAB não solicitou e nem autorizou nenhum grupo a emitir opiniões de juízo sobre tema político, técnico e muito menos interno do movimento indígena Amazônico e principalmente fazer graves acusações ao afirmar a incapacidade, corporativismo de lideres indígenas.

Atitudes como essas vem sendo práticas há muito tempo e tem a clara intenção de debilitar e dividir os Povos Indígenas Amazônicos quando emite às organizações nacionais elementos e conteúdos específicos como "COICA: intermediário financeiro para a Amazônia, COICA: Marginalizando e substituindo as organizações indígenas nacionais" desprestigiando nossas lideranças, nosso movimento e nossa própria organização a COICA e suas organizações filiadas. Por tanto a COIAB não reconhece nem tão pouco legitima o referido relatório.

A COICA têm conquistas e desafios, assim como as organizações regionais e nacionais. A COIAB não permitirá ataques, crimes, calunias, difamações do nosso movimento, de nossas organizações, de nossos lideres e dos Povos indígenas. Nossa decisão é de fortalecer o crescimento dos Povos Indígenas > COIAB > COICA assumindo nosso papel de atores protagonistas de nossas próprias decisões e, recebendo o apoio e respeito daqueles que tem compromissos com os Povos Indígenas e seus processos e sistemas próprios.

Diante do exposto chamamos a unidade dos Povos indígenas da Amazônia, da América Latina e do mundo e que nossas organizações como a COICA sigam cumprindo sua missão.

Saudações Indígenas

Manaus - AM, 04 de Junho de 2009

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.