VOLTAR

Polo de combustivel tera ajuda japonesa

OESP, Economia, p.B5
20 de jul de 2004

Pólo de biocombustíveis terá ajuda japonesa Japão tem interesse em comprar esse produto, incluindo o álcool combustível

Fabíola Salvador

BRASÍLIA - Técnicos do Japão devem vir ao Brasil em até 60 dias para dar início aos estudos que têm por objetivo a construção do pólo para a fabricação de combustíveis alternativos e dos terminais logísticos que permitirão a exportação de biocombustíveis. A informação é do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, que se reuniu ontem com o diretor do Banco de Cooperação Internacional do Japão (JBIC), Koichi Yajima.

Os japoneses têm interesse na importação de biocombustíveis e o Brasil é um dos únicos países que têm condições de atender à demanda sua demanda. Em março, o Japão autorizou a adição de até 3% de biocombustível à gasolina, o que pode representar uma demanda de 10 bilhões de litros de álcool por ano.

Para atender a essa demanda, o Brasil precisaria aumentar em pelo menos 2 milhões de hectares a área plantada com cana-de-açúcar. Apesar de afirmar que o acordo está numa fase "muito preliminar", Rodrigues disse que há interesse efetivo. "Tenho esperanças de que o processo vai avançar", afirmou.

A missão liderada pelo diretor do JBIC segue nos próximos dias para Ribeirão Preto. O ministro relatou que o JBIC pretende liberar US$ 600 milhões para o projeto, sendo US$ 300 milhões para a parte agrícola e para instalação de agroindústrias e outros US$ 300 milhões para investimentos em logística. A contrapartida será feita pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

OESP, 20/07/2004, p.B5

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.