VOLTAR

Polêmica: Será o Fim da Água em São Paulo

Jornal GGN - http://jornalggn.com.br/blog
01 de nov de 2014

Polêmica: Será o Fim da Água em São Paulo

ANTONIO ATEU

sab, 01/11/2014 - 16:47

"Falta d'água não vai acabar tão cedo", prevê ativista São Paulo enfrenta a pior crise hídrica da história. Mário Sergio Conti conversou com Marussia Whately, responsável pelo projeto Água São Paulo.
A questão da falta água aflige milhões de pessoas pelo mundo e passou a preocupar também os paulistas. São Paulo enfrenta a pior crise hídrica da história. A região mais rica do país está vulnerável, à espera de chuva. Trinta ONGs já se uniram na aliança pela água. Elas querem cobrar informações e atitudes do governo e ajudar no desafio de gerir um recurso que é fundamental e finito.
Mário Sergio Conti conversou sobre o assunto com Marussia Whately, responsável pelo projeto Água São Paulo, do Instituto Socioambiental. Para Marussia, a falta d'água não vai acabar tão cedo.
"A crise aqui em São Paulo é de extrema gravidade. A perspectiva é que a gente termine 2014 com os principais mananciais muito depreciados. O Cantareira, que é o maior sistema produtor de água do Brasil, está entrando na segunda cota do volume morto", destaca a ativista.
Marussia Whately explicou que o volume morto é uma quantidade de água que fica abaixo da altura que se pode captar para abastecimento e lembrou que o uso do volume morto é algo inédito. "É um volume morto para o abastecimento, mas muito vivo para a represa", acrescenta.
Para Marussia, quatro fatores levaram à crise: gestão, degradação das fontes, clima e falta de transparência e diálogo. Veja o que ela falou sobre cada fator:
Gestão:
"É a forma como se vem gerindo os recursos hídricos no estado e no Brasil. Apesar de o Brasil ter essa aparente grande riqueza de água, 12% da água doce, hoje a gente não pode mais dizer que o país tem uma situação confortável em relação à água".
Degradação das fontes:
"O Brasil tem hoje três grandes fontes de poluição e degradação da água: esgoto urbano, poluição por agrotóxicos e fertilizantes e o desmatamento".
Fator climático:
"Tivemos três verões com menos chuva e os eventos climáticos extremos vêm aumentando em intensidade e frequência no mundo todo".
Falta de transparência e diálogo:
"Cada vez mais o estado e a Sabesp se mostram isolados".
Marussia Whately acrescentou ainda que a campanha eleitoral foi um quinto fator agravante. "Medidas impopulares poderiam ter sido feitas esse ano, como um racionamento de água de uma forma mais branda. Mas isso não foi muito bem trabalhado durante a campanha", ressalta.
http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2014/10/falta-dagua-nao-vai-acab…

http://jornalggn.com.br/blog/antonio-ateu/polemica-sera-o-fim-da-agua-e…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.