VOLTAR

Piauiense leva a lenda indígena, Zabelê, a festival internacional em São Paulo

Cidade verde https://cidadeverde.com
24 de mai de 2018

Uma das lendas mais populares do Piauí - Zabelê - que ganhou música de Gilberto Gil e letra de Torquato Neto - será apresentada no 8o Encontro Internacional de Contadores de Histórias Boca do Céu que acontece até sábado (26) em São Paulo.

A apresentação é da atriz e contadora de história, Carla Senna, que desenvolve o projeto "Balaio de Histórias" em Teresina há 13 anos e realiza atividades de incentivo à leitura para crianças e adolescentes, através das contações de histórias.

Carla Senna fará apresentação no Sesc Bom Retiro a partir das 19h com entrada fraca. A contadora piauiense foi selecionada para participar do festival através de edital bastante concorrido e disputando vaga com vários estados.

"É um evento que qualquer contadora de história gostaria de participar pela sua grandiosidade, pela troca de experiências e aprendizado. Estou feliz, pois além de participar das oficinas também estarei apresentando meu trabalho ao público, levando a história de Zabelê, uma lenda que mostra que o amor pode vencer mesmo em tempos de guerra".

Lenda piauiense - Zabelê

É comparada a tragédia de Romeu e Julieta, mas com olhar piauiense. Filha do chefe da tribo dos Amarajós, Zabelê, se apaixona por Metara, um índio da tribo inimiga, os Pimenteiras. Seu amor é descoberto pelo índio Mandahú, que é apaixonado por Zabelê e sofria por não ser correspondido. Certa vez, Mandahú resolve desmascará o relacionamento dos dois. Os amantes são descobertos e ocorre uma briga que resulta com a morte de Zabelê, de Metara e Mandahú. A tragédia deu origem a guerras que durou seis sós e sete luas. Sensibilizado com o amor de Zabelê e Metara, Tupã, Deus dos indígenas, transforma os dois em lindos pássaros, que vivem no céu do Piauí, sempre juntos e cantando o seu amor.

Carla conta que adaptou a história em parceria com o sociólogo Jairo Araújo e fará uma apresentação com cânticos indígenas, poesia, instrumentos usados em tribos, além de brincadeiras, adereços e objetos, destacando a história, os saberes e vivências das comunidades indígenas.

"O texto ressalta ainda palavras com saudações indígenas e um ponto que espero tocar é fazer a criança refletir sobre a relação com a natureza, com seus antepassados e de respeito a diversidade", ressaltou Carla Senna.

Balaio de Histórias

Usando teatro, música, dança e muitas brincadeiras, o projeto "Balaio de Histórias" possibilita à criança o interesse pela leitura, de forma lúdica, valorizando o contato humano. Acreditamos que as brincadeiras, as contações de histórias são importantes para o processo de construção do aprendizado e da cidadania. O projeto desenvolve oficinas para professores, realização de ciranda de roda, oficina de mediação da leitura, além de oficinas de artesanatos infantil, de gourmet para crianças, construção de brinquedos, de fantoches e pintura de rosto. Ministramos palestras, apresentações em eventos, escolas, festas infantis, lançamento de livros e empresas. Desenvolvemos também o projeto "Estação das Flores e Artes" na cidade de Timon, no Maranhão, que atendemos mais de 40 crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. Contatos através do fone (86) 99819-2018.

https://cidadeverde.com/noticias/272851/piauiense-leva-a-lenda-indigena…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.