VOLTAR

PF prende homem que tentou subornar coordenador de operação do Ibama no MA

Ibama - www.ibama.gov.br
Autor: Christian Dietrich
23 de jul de 2009

A Polícia Federal - PF prendeu hoje Raimundo Martins Filho em flagrante por corrupção ativa quando ele tentava subornar o coordenador do Ibama na Operação Atarawaca/Arco de Fogo, onde atuam em conjunto a PF o Ibama, Força Nacional de Segurança-FNS, Polícia Rodoviária Federal-PRF em Santa Inês, no oeste do Maranhão. O Exército Brasileiro e o governo maranhense apoiam as ações.

O cidadão preso teve o caminhão com uma carga de madeira ilegal apreendido durante uma das ações de fiscalização e fez contato com o coordenador do Ibama por telefone, oferecendo dinheiro pela liberação do veículo. Imediatamente, o servidor comunicou o fato à PF.

Foi marcado encontro num local onde Martins Filho levou o dinheiro, e, no ato da entrega da quantia, dentro de uma viatura do Ibama, os policiais federais o prenderam. Raimundo Martins Filho foi encaminhado à Delegacia de Santa Inês, onde está preso. A pena para corrupção ativa é de até 12 anos de reclusão.

A Operação Atarawaca/Arco de Fogo combate crimes ambientais e outros ilícitos na região da Reserva Biológica de Gurupi, e nas Terras Indígenas Awa-Guajá, Caru, Alto Turiaçu e Araribóia, onde povos indígenas estão com seu modo de vida ameaçado pelo avanço da exploração de madeira e do desmatamento ilegal. Na região, além dos crimes ambientais, há plantio de maconha.

Na avaliação do coordenador geral de fiscalização do Ibama, Bruno Barbosa, esta operação é uma das mais importantes do ano, pois envolve grande número de agentes ambientais federais do Ibama e de outras instituições, como PRF, PF, Sistema de Proteção da Amazônia-SIPAM, FNS e Funai. "Ela foi concebida para o combate a ilícitos ambientais contra o bioma amazônia e aos crimes associados como escravidão, tráfico de drogas", afirmou.

Desde o início da operação, no dia de 13 julho, foram aplicados 34 autos de infração, somando R$ 465,5 mil. Barreiras de fiscalização estão sendo realizadas na BR 222 e 316, e em outras rodovias da região. Até o momento, três serrarias foram embargadas. Foram apreendidos 17 caminhões que transportavam produtos florestais ilegais, 314 m³ de madeira serrada e 16 m³ de toras, além de 60 metros de carvão. Também houve apreensão de oito animais silvestres. O Centro Federal de Ensino Técnico - Cefet de Zé Doca recebeu 34 cadeiras e 29 mesas que estavam em uma serraria ilegal embargada.

O Maranhão, no Projeto Prodes - Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite, realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais-Inpe, no período 2007/2008, foi o terceiro estado que mais desmatou na Amazônia, atrás apenas de Pará e Mato Grosso, com 1085 km² de florestas devastadas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.