VOLTAR

Pescadores que fazem justiça com as próprias mãos

O Globo (Rio de Janeiro - RJ)
15 de abr de 1998

Com a sobrevivência ameaçada pela pesca predatória da lagosta, pescadores cearenses criaram tribunais populares para enfrentar a omissão do estado. Os tribunais se regem por códigos informais, com direitos, deveres e estabelecem punições para quem transgredir as leis. O superintendente do Ibama no Ceará vê a iniciativa como uma solução para o trabalho de conscientização ecológica em defesa da preservação da lagosta.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.