VOLTAR

Para SBPC, falta ciência no debate sobre biodiversidade

OESP, Vida, p. A22
28 de mar de 2006

Para SBPC, falta ciência no debate sobre biodiversidade

Está faltando ciência na COP 8. Essa é a avaliação do presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ennio Candotti. Segundo ele, não é possível planejar a conservação e o uso sustentável dos recursos biológicos sem antes investir no conhecimento básico desses recursos. Ou seja, na pesquisa da biodiversidade.

"Sinto aqui uma falta escandalosa de integração entre preocupações conservacionistas e científicas", disse Candotti. "Há uma grande ênfase na repartição de benefícios pelo uso dos conhecimentos tradicionais, mas não na geração de novos conhecimentos."

Essa tem sido uma reclamação constante de cientistas que participam do evento em Curitiba: de que, para proteger, é preciso, primeiro, saber exatamente o que se está protegendo. Estudos indicam que a maioria da biodiversidade do planeta continua desconhecida. "Sem conhecimento não há conservação, muito menos sustentabilidade", disse. "O conhecimento tradicional só será valorizado na medida em que o novo conhecimento avançar na proporção."

Candotti cobrou uma participação mais ativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) na conferência, que está sendo coordenada pelas pastas de Meio Ambiente e Relações Exteriores. O ministro Sergio Rezende, do MCT, não compareceu ao evento.

OESP, 28/03/2006, Vida, p. A22

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.