VOLTAR

Pais sera estrela na feira de organicos

OESP, Negocios, p.B16
04 de Fev de 2005

País será estrela na feira de orgânicos
Brasil é o tema da Biofach, maior evento mundial do setor, realizado na Alemanha
Patrícia Campos Mello
O Brasil será o país tema da Biofach, a maior feira de produtos orgânicos do mundo, que começa no dia 24 de fevereiro em Nuremberg, na Alemanha. O evento terá degustação de comidas brasileiras orgânicas, happy-hour brasileiro, noite de gala regada a caipirinha de amendoim, coco e maracujá, além de música de Yamandú Costa e Armandinho. A Agência de Promoção de Exportações do Brasil (Apex), com o apoio da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha, vai levar para a feira 108 empresas brasileiras, que produzem café, açúcar, frutas, legumes, cachaça, frango, carne e laticínios orgânicos, isto é, que não usam agrotóxicos. Três ministros estarão presentes na feira: Roberto Rodrigues, da Agricultura, Luiz Fernando Furlan, do Desenvolvimento, e Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário.
Segundo Juan Quirós, presidente da Apex, o País foi escolhido para ser tema da feira por causa de seu crescimento no mercado mundial de orgânicos. No mundo, o mercado de orgânicos movimenta, por ano, US$ 30 bilhões. A participação do Brasil nesse mercado ainda é muito pequena - as exportaçõe brasileiras devem chegar a US$ 100 milhões em 2005. Mas o crescimento do País é surpreendente - a exportação de produtos orgânicos do Brasil vem crescendo 50% por ano, bem acima do mercado mundial, que cresce 25% anualmente.
Os maiores consumidores de produtos orgânicos do mundo são os Estados Unidos, seguidos do Japão e da Alemanha. Os maiores produtores são, pela ordem, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Argentina e Canadá.
O Brasil levará algumas novidades para a feira, como camarão, óleos e tecidos orgânicos. O camarão orgânico, cultivado no Rio Grande Norte, é criado sem produtos químicos e alimentado com algas e peixes, em vez de ração. O produto custa entre 30% e 50% a mais do que o camarão tradicional. O País também vai expor fitoterápicos, como chá de boldo e guaraná em pó, e cosméticos orgânicos. "O consumidor europeu está disposto a pagar mais por produtos que sejam orgânicos e cultivados seguindo normas de respeito ao meio ambiente e à mão-de-obra", diz Quirós. Segundo ele, a Apex investiu R$ 3,2 milhões na participação na feira, pesquisas de mercado e sensibilização de produtores.
O outro objetivo da delegação brasileira é captar investimentos para o setor de orgânicos no Brasil. Ingo Plger, diretor da unidade de Investimentos da Apex, vai se reunir com representantes dos grandes processadores mundiais de orgânicos, para estudar projetos no Brasil.

OESP, 04/02/2005, p. B16

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.