VOLTAR

Outro índio morre atropelado na RS-324

Zero Hora-Porto Alegre-RS
Autor: VIVIAN EICHLER
30 de ago de 2002

No último dia 8, trecho abrigou protesto de caingangues em decorrência de acidente fatal

Menos de um mês após a morte por atropelamento de uma adolescente caingangue na reserva de Pinhalzinho, em Planalto, extremo norte gaúcho, outro índio morreu no km 36 da RS-324.

Davi Thomaz Pereira, 24 anos, empurrava uma moto pela estrada, ontem, às 2h15min, quando foi atingido por um ônibus que levava estudantes.

Logo depois do acidente, um grupo de índios apedrejou o veículo. O motorista, Neri Domingos Ribeiro, e os passageiros fugiram a pé. Pereira era casado e tinha um filho de um ano. A mulher dele está grávida de oito meses. Ele trabalhava na construção de um museu e de um centro de cultura indígena.

No último dia 8, Janete do Nascimento, 13 anos, foi atropelada após desembarcar de um ônibus escolar. Houve revolta dos caingangues que, desde o ano passado, pedem mais segurança na estrada que cruza as duas reservas no Toldo Indígena Nonoai. A rodovia ficou 10 dias bloqueada, o que resultou na prisão de cinco pessoas por 38 horas.

O Estado iniciou licitação para a construção de um caminho paralelo ao asfalto.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.