VOLTAR

"O índio brasileiro é realmente sobrevivente"

O Estado (Florianópolis - SC)
19 de abr de 1981

Em entrevista com bispo Dom José Gomes, presidente do Conselho Indigenista Missionário, afirma que a meta durante seu mandato é a de colocar o índio como interlocutor, ao se pensar as políticas indigenistas. Segundo o bispo, o índio brasileiro, um sobrevivente, frente a tentativa de integração dos povos indígenas, adotam a postura de respeito as distintas culturas. Aponta que as principais falhas da Funai estariam nas políticas de demarcação, que não tem instrumento de defesa, além do descumprimento de uma série de medidas apontadas no Estatuto do Índio. A respeito desse último, o bispo afirma que a pesar de possuir uma série de "senão", o Estatuto do Índio segue sendo uma ferramenta importante para assegurar os direitos dos índios. Afirma que não obstante, o Governo concede permissão para que grupos econômicos explorem as reservas indígenas, e denuncia o Banco Mundial pela construção de uma estrada em terra Nambikwara. Defende a criação de Parques Indígenas, ao que cita o delicado caso dos Yanomami.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.