VOLTAR

Nota pública sobre ameaças ao povo Katukina, no Acre

CIMI
06 de jun de 2007

A equipe do CIMI de Cruzeiro do Sul vem externar publicamente, por meio desta nota, sua grande preocupação quanto às invasões que vêm ocorrendo na Terra Indígena Katukina do Campinas, próxima à BR 364.

O último fato grave ocorreu no domingo, dia 03 de junho, quando um grupo de quatro Katukina saiu para pescar em um igarapé de nome Areia. Após cerca de seis horas de caminhada encontraram um acampamento de caçadores. Como fossem em número de quatro, dois deles, Levino Pequeno Katukina, de 16 anos, e Jarisson Katukina, permaneceram na mata enquanto os outros dois voltaram à aldeia para pedir ajuda.

Durante o trajeto à aldeia foram ouvidos os latidos dos cães usados pelos caçadores e vários disparos de arma de fogo, de onde se deduziu que os Katukina que estavam na mata haviam sido descobertos e assassinados pelos invasores. A comunidade Katukina entrou em pânico, pois vivem ameaçados por invasores de sua terra e não é a primeira vez que há conflitos envolvendo indígenas e não-indígenas.

Os dois jovens foram encontrados a salvo e o confronto não se deu porque os caçadores fugiram. No acampamento abandonado foram encontrados 30 kg de carne salgada, 08 litros de álcool, 03 pacas ainda por serem preparadas, 03 redes de dormir e outros objetos usados pelos caçadores. As ameaças aos Katukina continuam e são cada vez mais intensas e ousadas.

A constante tensão vivida na região se dá pelo fato de a terra indígena estar cercada por fazendas e assentamento do Incra. Pior ainda, é cortada ao meio pela BR 364.

É preciso que o governo cumpra com tudo que foi acordado por ocasião da aprovação do estudo e do relatório de impactos ambientais para a pavimentação da estrada. Muitas vezes se chamou a atenção para a gravíssima situação na região e até o momento quase nada foi feito.

Mais uma vez unimos nossa voz à voz do povo Katukina do Campinas para pedir às autoridades que tomem providências para que aquele povo possa viver dignamente sendo respeitado e tendo seus direitos garantidos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.