VOLTAR

Ministra recebe comissão do Conselho Nacional Extrativista

MMA - http://www.mma.gov.br/
Autor: Leticia Verdi
10 de abr de 2015

Em reunião, Izabella Teixeira e representantes fazem balanço de política pública e traçam novos caminhos

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, recebeu, na quinta-feira (09/04), representantes do Conselho Nacional Extrativista (CNS - antigo Conselho Nacional dos Seringueiros) para uma conversa de quatro horas sobre as políticas públicas."O diálogo institucional com as populações extrativistas nunca foi tão intenso e aberto", destacou a ministra.

Durante a conversa, foram repactuadas estratégias que passam pela inclusão produtiva sustentável das famílias extrativistas da Amazônia, inclusive aquelas já beneficiárias do programa de transferência de renda Bolsa Verde. Na ocasião, a ministra Izabella Teixeira foi convidada pela liderança do CNS a participar do III Chamado dos Povos da Floresta, que acontecerá em novembro, com data e local a serem definidos.

Para o presidente do CNS, Joaquim Belo, a agenda com o MMA é positiva. "Queremos avançar cada vez mais, construir os caminhos necessários para dar atenção à pauta extrativista." Ele destacou que economia da floresta precisa ser fortalecida. "É a garantia que as pessoas vão estar ganhando dinheiro de forma sustentável". A criação de reservas extrativistas também foi item da pauta da reunião.

Antes do encontro com a ministra, a comitiva do CNS esteve reunida por dois dias com o secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável, Paulo Guilherme Cabral, e sua equipe.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) - (61) 2028.1173

Links:
Acesse aos números do Bolsa Verde: http://www.mma.gov.br/mma-em-numeros/bolsa-verde
Entenda como funciona o Bolsa Verde: http://www.mma.gov.br/index.php/desenvolvimento-rural/bolsa-verde

http://www.mma.gov.br/index.php/comunicacao/agencia-informma?view=blog&…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.