VOLTAR

Mesa detona primeira rocha de Santo Antônio

Diário da Amazônia - www.diariodaamazonia.com.br
21 de out de 2008

Ontem foi realizada a primeira de uma série de explosões necessárias para as obras da usina hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira. Mário Lúcio Pinheiro, um dos engenheiros da obra, afirmou que foram usados 500 gramas de carga explosiva em cada uma das perfurações feitas na rocha, em torno de 400 quilos de detonadores. Apenas o barulho único e seco pôde ser ouvido, superando o soar do último sinal sonoro indicativo da explosão. A visão para a imprensa foi de uma grande nuvem de poeira, e nada mais. "Usamos cordel detonante interligando cada uma das fendas na rocha", explica Antônio Cardilli, gerente administrativo e financeiro do projeto. Segundo Cardilli serão precisos de dois a três anos para desmontarem todas as rochas no canteiro. As pedras que estão às margens do rio e pelo meio da cachoeira serão usadas na própria obra.

Antes que começasse o procedimento, a Madeira e Energia S.A. (MESA) disponibilizou um ônibus para a retirada das famílias que moram em sítios próximos à área de risco. Todos os moradores saíram de suas casas cerca de uma hora antes da explosão. O desmonte da ponta de rocha não teve um resultado aparente de grande destruição a leigos olhos, mas os engenheiros e técnicos farão a vistoria para apurar se todos os detonadores funcionaram com precisão.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.