VOLTAR

Meio Ambiente debate funções ecológicas e impactos da supressão ilegal de APPs e reservas

Agência Câmara - https://www2.camara.leg.br/camaranoticias
27 de mai de 2019

Meio Ambiente debate funções ecológicas e impactos da supressão ilegal de APPs e reservas

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável debate nesta quarta-feira (29) as funções ecológicas e os impactos decorrentes da supressão ilegal de áreas de Reserva Legal (RL) e de Preservação Permanente (APP).
O deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP) que propôs o debate, quer discutir as funções da APP e da RL para o equilíbrio climático, a conservação da biodiversidade, os índices de produtividade rural, a proteção dos corpos d'água, a prevenção de desastres em áreas urbanas sensíveis a deslizamentos e enxurradas, dentre outros fatores fundamentais para o conjunto da sociedade, tanto na zona urbana, quanto na rural.
"As funções exercidas pelas regiões de matas e florestas, denominadas APP e Reserva Legal, são importantíssimas para o equilíbrio climático nacional, regulação do ciclo das chuvas e para a produtividade agrícola", explica o parlamentar.
Foram convidados:
- o professor titular do Departamento de Ecologia da USP, Jean Paul Metzger;
- o desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Antônio Souza Prudente;
- o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional, Alexandre Lucas Alves;
- o professor do Departamento de Zoologia da UnB, representando a SBPC, Ricardo Bomfim Machado;
- a bióloga do Instituto Socioambiental, Nurit Bensusan;
- a coordenadora da Rede das Águas da SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro;
- o engenheiro florestal e responsável técnico da Associação Rede de Sementes do Xingu, Guilherme Henrique Pompiano Ducarmo; e
- o Presidente da Organização das Cooperativas do Brasil, Marcio Lopes de Freitas.

O debate será realizado às 9h30, no plenário 2.

https://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/MEIO-AMBIENTE/577153…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.