VOLTAR

Mais ricos, menos conscientes

JB, País, p. A6
11 de mar de 2005

Mais ricos, menos conscientes
Ibope identifica menor disposição em economizar água

Brasileiros com maior poder aquisitivo e elevados índices de escolaridade têm menor grau de consciência para resolver os problemas de abastecimento e poluição da água. Esta é uma das conclusões da pesquisa ''Águas no Brasil: a Visão dos Brasileiros'', do Ibope. A pesquisa foi encomendada pelo WWF-Brasil, ONG que tentará atingir 8 milhões de brasileiros com uma campanha sobre preservação de recursos hídricos.
''Quanto maior a renda e a escolaridade dos entrevistados'', conclui a pesquisa, ''menor seu grau de consciência relacionados à água e sua disposição em ajudar a resolvê-los''. Foram entrevistadas mil pessoas em todo o país, no fim do ano passado.
O Ibope perguntou sobre a disposição para usar menor água em casa. A maioria aprova em todas as classes sociais. A diferença está na rejeição. Entre os brasileiros com curso superior, 16% dizem não estar dispostos, percentual que desce para 8% entre os de nível médio e 12% para os do ensino fundamental. Para os que têm apenas o primário, o índice de reprovação é de 15%.
O Ibope também perguntou se o entrevistado estaria disposto a pagar uma pequena quantia pela conservação da água, para garantir um produto de melhor qualidade. Entre as pessoas com curso superior, 65% responderam não estar dispostas a pagar mais, enquanto o índice de rejeição cai a 52% entre brasileiros de nível primário e fundamental. No público com rendimento acima de 10 salários mínimos, a rejeição chega a 59%. Entre os que ganham até um salário, cai para 53%.
Segundo o WWF, já há cobrança pelas águas do Rio Paraíba. Outros comitês de bacia discutem a implantação da taxa (de R$ 0,01 a R$ 0,02 por mil litros de água utilizada). Entre as pessoas com nível superior, 31% se posicionam contra a cobrança. Entre as com ensino fundamental e médio, o índice de rejeição cai para 18%.
- Os ricos precisam mudar seu comportamento. Os pobres são mais solidários - diz o coordenador do Programa Água para a Vida, da WWF-Brasil , Samuel Barrêto.
A pesquisa mostrou que 88% dos entrevistados acreditam que o Brasil vai sofrer problemas de abastecimento de água a médio ou longo prazos.

JB, 11/03/2005, País, p. A6

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.