VOLTAR

Lideranças denunciam atividades turísticas na área indígena Rio Marmelo

Coiab-Manaus-AM
04 de ago de 2003

O Coordenador Geral da Coiab, Jecinaldo Barbosa Cabral / Saterê Mawé, formalizou nesta segunda-feira, 4 do presente, junto a Fundação Nacional do Índio (Funai) de Brasília, a Administração Regional da Funai em Porto Velho, o Ministério do Meio Ambiente, o Ibama e as Prefeituras de Manicoré e Humaitá, denúncia encaminhada por lideranças indígenas dos Povos Torá, Tenharim, Apurinã, Munduruku e Partintintin, sobre atividades turísticas que vem sendo realizadas na área Indígena Rio Marmelo, no Estado do Amazonas, sem prévia autorização do órgão indigenista oficial nem das lideranças representativas da região.

Os indígenas, caciques, professores, Agentes de Saúde e mulheres indígenas, das aldeias Estirão Grande, São Raimundo, Baixo Grande, São José, Fortaleza e Panorama, reunidos na Aldeia São Raimundo, citam como responsável dessa ação a Agência NG Turismo, que teria firmado contrato financeiro com o índio Natanael Rodrigues Parente.

A denúncia das lideranças do Rio Marmelo relata:

· a invasão do Rio Marmelo acontece com a companhia de
"seguranças armados, contratados para proteção de turistas, por parte do Sr. Natanael Rodrigues Parente";

· O fato causa grande risco de conflito com ameaças de morte
entre a população indígena do referido Rio e "seguranças", turistas e demais pessoas;

· Houveram agressões verbais, atitudes humilhantes com os
indígenas do Rio Marmelo;

· Houve manipulação de alguns indígenas, quatro lideranças,
oferecendo-lhes bens materiais (moto-serra e grupo gerador), em troca de permitir o turismo;

A denúncia conclui, alertando para a gravidade do caso e pedindo que sejam tomadas urgentemente "medidas cabíveis junto aos órgãos competentes nas próximas 48 horas, a contar desta data"

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.