VOLTAR

Lençóis Maranhenses realiza regularização fundiária

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
Autor: ICMBio
13 de nov de 2018

Lençóis Maranhenses realiza regularização fundiária
Publicado: Terça, 13 de Novembro de 2018, 16h20

No dia 13 de novembro foi assinada a escritura pública de desapropriação amigável do Sítio Mata Fome - Área 1, primeira área que será indenizada na unidade de conservação.

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses deu um grande passo em seu processo de regularização fundiária. Hoje, 13, foi assinada a escritura pública de desapropriação amigável do Sítio Mata Fome - Área 1, primeira área que será indenizada na unidade de conservação. O imóvel possui área de 252,4060 hectares.

"A regularização da área é importante para o parque, por ser a primeira servirá como exemplo para outros proprietários que tenham interesse na indenização. Teremos ainda a possibilidade de desenvolver pesquisa no local analisando a recuperação da vegetação." afirma Adriano Damato, chefe do Parque.

O processo de regularização fundiária no parque teve início em 2012, com o recadastramento das famílias residentes. A unidade possui 155 mil hectares e está localizada nos municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz no Maranhão.

Sobre o Parque
O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, criado pelo Decreto no 86.060 de 02 de junho de 1981, é o maior campo de dunas da América do Sul e compreende uma área de 155 mil hectares. Está localizado no litoral oriental do estado do Maranhão e abrange três municípios: Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz. O Parque é uma unidade de conservação federal, gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entidade vinculada ao Ministério do Meio Ambiente.

http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10070-parna-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.