VOLTAR

Justiça manda demolir barragens em zona de amortecimento de reserva no Rio

ICMBio - www.icmbio.gov.br
Autor: Luciana Melo - luciana.melo@icmbio.gov.br
05 de nov de 2008

A Reserva Biológica (Rebio) do Tinguá, no Rio de Janeiro, demoliu nesta quarta (5) barragens irregulares no rio São Pedro, na localidade de Jaceruba, município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A medida foi tomada em cumprimento a uma ação civil pública impetrada na Justiça pela Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro.

As barragens ficavam na zona de amortecimento da Rebio. Os lagos formados pelos represamentos eram usados pelas pessoas para banho e lazer. Com o movimento, pequenos comerciantes informais mantinham no local barracas para a venda de alimentos e bebidas. A área se assemelhava a um verdadeiro clube ou resort popular.

O represamento da água e o forte movimento de pessoas no local causavam vários problemas à zona de amortecimento da reserva, como o assoreamento do leito do rio e a devastação da fauna e flora aquáticas. Além disso, os freqüentadores costumavam invadir a área da Rebio, espalhando lixo e outros dejetos em seu interior.

As barragens foram construídas por pessoas que moram próximo ao local. Durante a operação de demolição das represas, ninguém se apresentou como responsável pelas construções.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.