VOLTAR

Jataí pode ser excelente campo de pesquisa etológica

FF - http://www.fflorestal.sp.gov.br
Autor: Edson Montilha de Oliveira e Paulo Antunes
19 de out de 2011

Após a apresentação do biólogo e doutor em Ecologia e Conservação dos Recursos Naturais, Edson Montilha de Oliveira, gestor da Estação Ecológica Jataí, no XXIX Encontro Anual de Etologia, realizado em Uberlândia, Minas Gerais, entre os dias oito e 12 de outubro, ficou demonstrado que existe interesse de alunos e professores orientadores dos cursos de pós-graduação no bioma do cerrado bem como para o estudo de comportamento e interação de espécies presentes naquele ambiente. Mais ainda: que esses estudos são importantes e urgentes.

Edson Montilha que foi convidado para participar do evento aproveitou para apresentar informações sobre a Estação Ecológica, com destaque para o Plano de Manejo, documento fundamental para a gestão da unidade de conservação e que no momento se encontra para análise no Consema - Conselho Estadual de Meio Ambiente. O gestor da UC fez ainda um balanço histórico do uso e ocupação do solo da região onde se situa a Estação Ecológica, bem como, sobre as pesquisas realizadas. Por fim, também foi feita abordagem sobre as possibilidades para futuras de pesquisas envolvendo o monitoramento de fauna e flora.

Isso é considerado muito importante porque a Estação Ecológica Jataí registra a existência de pelo menos 150 estudos. Porém, pouquíssimos estão relacionados a pesquisas em comportamento animal e interação ecológica, objeto da etologia, um dos ramos da pesquisa em zoologia. A etologia estuda o comportamento animal e tem entre suas preocupações básicas a evolução do comportamento através da seleção natural. Segundo o naturalista Charles Darwin, cada espécie é dotada de seu próprio repertório peculiar de padrões de comportamento, da mesma forma que é dotada de peculiaridades anatômicas.

Os etólogos realizam estudos sobre os padrões de comportamento específicos das espécies, fazendo-os preferencialmente no ambiente natural, uma vez que, acreditam, detalhes importantes do comportamento só podem ser observados durante o contato estreito e continuado com espécies particulares que se encontram livres no seu ambiente.

A Estação Ecológica do Jataí, criada em 15 de junho de 1982, através do decreto Estadual 18.997/1982 com o objetivo de preservar importantes ecossistemas com suas lagoas marginais ao rio Mogi-Guaçu e o cerrado paulista. E, pelo fato de ser a maior Unidade de Conservação a preservar o cerrado paulista, com espécies ameaçadas como a onça, tamanduá e lobo guará, justifica a importância dos estudos comportamentais ou de interação. Edson Montilha revela, por exemplo, que o professor Kleber Del-Claro, da Universidade Federal de Uberlândia e que dá orientação a alunos da USP, em Ribeirão Preto, manifestou interesse no desenvolvimento de projetos de pesquisa em Ecologia de Interação na Unidade.

http://www.fflorestal.sp.gov.br/noticias2.php?id=273

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.