VOLTAR

Internet facilita acesso à informação florestal

OESP, Agrícola, p. G4
13 de dez de 2006

Internet facilita acesso à informação florestal
Sistema, que será lançado dia 19, mostra que a área de floresta nativa aumentou em SP

Niza Souza

O plano para recuperar a cobertura florestal em São Paulo tem 13 anos. Foi criado em 1993 pela Fundação Florestal, órgão da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Mas o que está sendo feito? Quais ações foram criadas desde então? E como saber se deram certo? Para tentar responder a essas e outras perguntas, a ONG Florestar São Paulo, em conjunto com a fundação, desenvolveram e lançam na terça-feira o Sistema Estadual de Informações Florestais (Sisflor).

O Sisflor é um banco de dados que reúne informações sobre todos os assuntos que envolvem o sistema florestal. Pode-se consultar a situação das florestas no Estado, assuntos técnicos, como infrações florestais, e até preços de mercado de produtos florestais, como papel, celulose, energia, madeira sólida e outros. 'Já tínhamos a Florestar Estatístico, uma revista semestral que reúne informações sobre a situação das florestas em São Paulo', diz o conselheiro do Florestar, Eduardo Castanho.

INOVAÇÃO

'Mas há três anos percebemos que era preciso mais instrumentos para divulgar melhor esses dados, até para auxiliar o produtor e todos os envolvidos na cadeia como um todo', destaca Castanho, que também é coordenador do projeto Sisflor. 'Este sistema é uma inovação para o setor. E não vamos tratar apenas da questão produtiva (da madeira, carvão, etc.), vamos tratar também de produtos ambientais, como seqüestro de carbono, produção e qualidade e água, plantas medicinais e outros temas vinculados à questão florestal.'

Entre tantas informações, um dos itens do sistema que mais chamam a atenção é a situação florestal em São Paulo. Surpreendentemente, a área de florestas nativas (que inclui mata, capoeira, cerrado, cerradão, vegetação de várzea, campo, mangue e restinga) em São Paulo, de acordo com o levantamento do Sisflor, que era de 3,3 milhões de hectares em 1992, aumentou para 3,4 milhões de hectares em 2001.

A região (o sistema adota a divisão administrativa da Cati) onde foi registrado o maior índice de aumento, 12%, foi o litoral paulista. Apesar da redução da área de mata nesta região - de 845 mil em 1992 para 698 mil hectares em 2001 -, as áreas de mangue e restinga aumentaram significativamente. A área de restinga, que era de 31 mil hectares em 1992, subiu para 157 mil hectares em 2001.

O site (www.sisflor.org.br) está disponível experimentalmente e foi montado com base no sistema Foris, da FAO (órgão das Nações Unidas para alimentação e agricultura), com as devidas adaptações. Até terça-feira, dia do lançamento oficial, serão feitos alguns ajustes. Segundo Castanho, os bancos de dados de preços serão atualizados mensalmente e os de legislação a cada seis meses.

OESP, 13/12/2006, Agrícola, p. G4

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.