VOLTAR

Instituto Preservar visa conservar a biodiversidade no nordeste

ENVOLVERDE - http://envolverde.ig.com.br
10 de mar de 2009

Com foco no apoio à criação e implementação de reservas particulares no estado da Bahia e em Sergipe, a Associação de Proprietários de Reservas Particulares da Bahia - Preserva, fundada em 2000, conta com programas de incentivo à pesquisa científica, à educação ambiental e capacitação, bem como recuperação de nascentes e matas ciliares. Nos objetivos específicos, incentivar e apoiar as ações da associação de proprietários de reservas particulares da Bahia no Corredor Central da Mata Atlântica, com acompanhamento técnico, orientação, divulgação e obtenção de recursos. Nos resultados, o apoio na criação de dezenas de RPPNs e aprovação de sete propostas no último edital do Programa de Incentivo às RPPNs da Aliança para a Conservação da Mata Atlântica.

O instituto atua na articulação de políticas públicas junto ao poder público e a sociedade civil na busca de instrumentos de estímulos à conservação da biodiversidade. Segundo a diretoria do instituto, a idéia da Preserva surgiu durante o "II Encontro de Proprietários da RPPN da Bahia", em 2000, quando 15 proprietários de reservas decidiram criar uma instância representativa em âmbito nacional. Hoje, é possível ver o resultado de anos de trabalho. A exemplo, a ampliação das áreas particulares protegidas do Bioma Mata Atlântica; a implementação de modelo de educação ambiental; e apoio à implementação de políticas públicas que incentivam a conservação em terras privadas. Em 2007, o desafio foi a atuação no Bioma Caatinga, dentro da proposta de atuar em todos os biomas do estado baiano. Como estratégia, aprimorar a capacidade de compor alianças e parcerias.

A equipe multidisciplinar vem trabalhando na busca de apoio financeiro e tecnológico para realização de ações voltadas para a mobilização dos proprietários de RPPN e efetiva implementação do Corredor Central da Mata Atlântica. Em 2006, a "Reserva Nova Angélica" foi a primeira RPPN reconhecida pelo Estado da Bahia. Essa região fica próxima da Reserva Biológica de Una, conhecida por abrigar espécies de primatas ameaçados de extinção, como o mico-leão-da-cara-dourada e o macaco-prego-do peito-amarelo. Nova Angélica possui 135 hectares de reserva e uma área total de 242 hectares dos quais 93% abrigam expressivos remanescentes florestais. Nela há um Centro de Difusão Ambiental implantado em parceria com o IESB, CEPF e a Prefeitura de Una.

Em 2005, a Preserva fez um autodiagnóstico via depoimentos de sua equipe com a finalidade de discutir e registrar o estágio da instituição para identificar suas potencialidades e necessidades e, assim, instituir uma metodologia capaz de estabelecer seu próprio processo de desenvolvimento. Desde sua fundação, a Instituição reconhece a importância do trabalho participativo na concretização de seus objetivos na conservação da Mata Atlântica. Contudo, seu principal foco (além do apoio de criação e implementação de reservas) é contribuir na conservação dos recursos hídricos e proteção da biodiversidade brasileira por meio do princípio de Corredores ecológicos. Isso porque as RPPN aumentam a conectividade ecológica entre os fragmentos florestais.

Segundo o Instituto Preserva, os resultados alcançados abrangem a capacitação de 35 professores e 18 agricultores. Foram 483 alunos sensibilizados com a metodologia "Brincando e Aprendendo com a Mata". Também, três hectares de APP estão sendo restaurados. Nos desdobramentos houve a formação de dois grupos jovens em restauração em áreas degradadas. Para os indicadores de avaliação foram considerados o número de professores capacitados, número de alunos participando das atividades do CDA, agricultores capacitados e número de hectares em restauração.

A Preserva e o ambientalista Renato Cunha foram os vencedores do Prêmio Muriqui 2006 por seu destaque no trabalho de apoio à criação e gestão de RPPN na Bahia e em Sergipe, com isso, estimulando a implementação do Corredor Central da Mata Atlântica. O prêmio, criado em 1993, foi concedido pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. A finalidade da premiação é incentivar ações conservacionistas, fomento, divulgação de conhecimentos e promoção do desenvolvimento sustentável no bioma.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.