VOLTAR

Inicia vacinação contra febre aftosa nas comunidades indígenas

Folha de Boa Vista - http://www.folhabv.com.br/fbv/noticia.php?id=60005
15 de abr de 2009

A Prefeitura de Boa Vista inicia nesta quinta-feira (16), a vacinação contra a febre aftosa no rebanho bovino das comunidades indígenas de Boa Vista. A ação faz parte da campanha "Sai Aftosa" e tem como meta imunizar aproximadamente três mil animais em 12 comunidades.

A primeira comunidade a ser visitada é Campo Alegre, a 64 km de Boa Vista. A programação começa às 8h. Na sexta-feira (17), a equipe se desloca para a comunidade Darora. No sábado (18), a vacinação acontece na comunidade Vista Alegre e no domingo (19), na comunidade Ilha.

"Estamos disponibilizando quatro mil doses para garantir que todo o rebanho seja imunizado e fique livre da doença", esclarece Dilma Pereira, secretária municipal de Gestão Ambiental e Assuntos Indígenas (SMGA).

"No dia 29 deste mês, será feita uma reunião com todas as comunidades para fazer um levantamento e avaliação da campanha e se algum gado ficou sem ser imunizado", explica Wolney Costa, Superintendente de Assuntos Indígenas da SMGA. No dia 30, acontece o encerramento da campanha com uma festa na comunidade do Campo Alegre, que terá em sua programação rodeio, premiação e churrasco.

A vacinação contra aftosa é parte do trabalho de acompanhamento e melhoramento do rebanho bovino, desenvolvido pela Prefeitura nas comunidades indígenas. A ação conta com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) e Associação Pecuária dos Indígenas de Roraima (APIR).

Além de manter a barreira sanitária no Estado, a vacinação contra aftosa evita que o rebanho das comunidades indígenas fique isolado, permitindo que os pecuaristas indígenas comercializem os animais.

A febre aftosa é uma doença viral altamente contagiosa que ataca gado bovino, búfalos, caprinos, ovinos, suínos entre outros animais que possuem cascos fendidos. Existem sete diferentes sorotipos de vírus da doença.

Os sintomas são febre alta que diminui apos dois ou três dias. Em seguida aparecem pequenas bolhas na mucosa da boca, laringe e narinase na pele que circunda os cascos. Essas bolhas se rompem, formando ferimentos. O animal passa a salivar, deixando cair fios de saliva e a mancar, em função dos ferimentos.

O animal também deixa de andar e de comer e emagrece rapidamente. As capacidades fisiológicas de crescimento, engorda e de produção de leite, são prejudicadas por várias semanas a meses.

Calendário de Vacinação:

20/04 - Mauixi
21/04 - Milho e Lago Grande
22/04 - Lago Grande
23/04 - Bom Jesus
26/04 - Serra do Truaru e Serra da Moça
27/04 - Truaru da Cabeceira
28/04 - Lago da Praia

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.