VOLTAR

Índios do Xingu serão treinados para proteger o ambiente

RMT On Line
08 de out de 2005

Índios do Xingu serão treinados para proteger o ambiente

Os índios da aldeia Diauarum, na região do Xingu, receberão um treinamento para proteger o ambiente. De 10 a 14 de outubro, a coordenadora nacional do Programa Agentes Ambientais Voluntários, Juliana Simões, e a assessora especial Ilka Fagundes Correia vão ministrar uma oficina de capacitação aos índios. No trabalho, elas terão apoio de dois fiscais da Gerência do Ibama em Barra do Garças (MT).
A iniciativa do evento é do Instituto Socioambiental (Isa) e da Associação da Terra Indígena do Xingu (Atix) e tem por objetivo fortalecer a avaliação e o planejamento das ações de proteção e conservação do meio ambiente. "Como a aldeia é composta por várias etnias, o curso vai ajudá-los a planejar as próximas capacitações de voluntários de modo específico, respeitando a diversidade cultural, em busca de resultados mais eficazes e permanentes", explica Ilka. A oficina busca também reforçar a gestão territorial do parque, com foco nas questões ambientais.
Participarão das aulas em Xingu 20 agentes ambientais indígenas. Eles já estão credenciados e atuando. Oficina semelhante foi realizada no mês passado para índios kaiapó, na aldeia Piaraçu, na Terra Indígena Capoto/Jarina (MT).
Juliana e Ilka estão realizando uma série de oficinas de planejamento nos estados em parceria com as gerências do órgão e de instituições ambientalistas. Neste ano, o Ibama/Brasília promoveu cursos em Sergipe, Pernambuco, Paraíba e Ceará. Por iniciativa das gerências do órgão, ocorreram também no Paraná, no Piauí e no Maranhão.
O Programa formou até o momento três mil agentes ambientais voluntários, cerca de 1.800 já credenciados e colaborando em campo para proteger os recursos naturais das áreas públicas de Unidades de Conservação e de Áreas Protegidas.

RMT On-Line, 08/10/2005

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.