VOLTAR

Índios do Xingu refazem limite do posto de vigilância Batovi

Midianews-Cuiabá-MT
28 de mar de 2002

No começo de abril, 17 índios Waurá deixam sua aldeia e descem o rio Batovi em direção ao Posto de Vigilância (PIV Batovi) da Funai para refazer a picada no limite com o PIV Romuro. Os Waurá da aldeia do Alto Xingu, norte de Mato Grosso, se juntam às três famílias que habitam no PIV para reabrir um trecho de 45 quilômetros.

Segundo o chefe do PIV Batovi, o índio Kanaiu Waurá, desde 1996 os índios fazem esse trabalho, também desenvolvido pelas outras etnias do Alto Xingu nos postos de vigilância da Funai. "Os Waurá fazem no Batovi, os Kalapalo, no PIV Kuluene, os Ikpeng no Romuro".

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.