VOLTAR

Índio kulina leva policiais à aldeia onde houve matança

A Crítica (Manaus-AM)
24 de dez de 1993

Seis soldados da Polícia Militar de Eirunepé viajaram para a aldeia Gaviãozinho para investigar as mortes de índios Kulina, no conflito com o comerciantes Manoel Capivara Campelo. A principal testemnunha do conflito, Dsodse Kulina acompanhou a movimentação da Polícia Militar no posto da cidade. Ele já deu dois depoimentos, e é testemunha ocular de duas mortes ocorridas durante uma festa na aldeia.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.