VOLTAR

Indígenas são beneficiados com curso

Brasil Wiki
01 de fev de 2006

O Núcleo de Educação Indígena (NEI), da Secretaria de Educação, Cultura e Desporto do Estado de Roraima (Secd) realizou na manhã desta sexta-feira (1), em Boa Vista, a abertura do curso de Magistério Indígena (Projeto TamîKan). A qualificação tem o objetivo de formar cerca de 300 docentes nos próximos quatro anos. O lançamento do Projeto Tamî Kan aconteceu no Teatro Carlos Gomes. A iniciativa é uma parceria do Ministério da Educação, por meio do Fundo de Desenvolvimento da Escola (FNDE), com a Secretaria de Educação.

Por meio do curso serão formados professores para atuar da 1ª a 4ª séries e no ensino das línguas Macuxi, Wapixana, Ingaricó, Yekuana e Wai-Wai. Participam da qualificação de docentes indígenas dos municípios do Cantá, Caroebe, Bonfim, Normandia, Pacaraima, Uiramutã, Amajari, Alto Alegre e Iracema. Pretendemos, assim, continuar as ações voltadas para a formação de professores que atuam como docentes mas não têm formação em Magistério”, salientou Natalina da Silva Messias.

A secretária de Educação do Estado de Roraima, professora Joyce Wânia de Souza Cruz Nascimento, disse tratar-se uma ação que tem o objetivo de melhorar cada vez mais a qualidade da educação oferecida aos povos indígenas. Ela afirmou que este é um investimento da Secd em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para transformar a realidade da juventude roraimense por meio do processo educacional. O curso será realiza realizado em três etapas, sendo que nesta primeira fase serão beneficiados 100 cursistas.

O representante dos professores indígenas da Amazônia, Telmo Ribeiro Paulino, saudou a iniciativa da Secd e disse que Roraima dá um passo importante na defesa do direito dos índios à educação continuada para se firmar como cidadãos participativos da vida do País. "Roraima é um modelo para o País. Está na frente dos outros Estados brasileiros", frisou.

O oferecimento do curso na área do Magistério Indígena é, segundo José Novais Pereira da Silva, representante da Sociedade de Defesa dos Índios Unidos de Roraima (Sodiur), um motivo de orgulho "porque melhora a qualidade do ensino nas comunidades indígenas" e possibilita aos povos beneficiados buscar melhorias para seus filhos e netos. "Um homem educado é difícil de desistir dos seus objetivos e de ser escravizado", observou.

O curso na área de Magistério Indígena tem o apoio do Conselho Indígena de Roraima (CIR), Associação dos Povos Indígenas de Roraima (Apirr), Organização das Mulheres Indígenas de Roraima (Omir), Fundação Nacional do Índio (Funai), Associação Regional Indígena dos Rios Quinô, Cotingo e Monte Roraima (Arikon), Organização dos Professores Indígenas de Roraima (Opir), Sociedade dos Índios Unidos de Roraima (Sodiur) e Associação Yanomami (Hutukara).

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.