VOLTAR

Indígenas recebem atendimento de oncologia

Folha de Boa Vista - www.folhabv.com.br
24 de nov de 2008

Indígenas das comunidades da Malacacheta e Canauamim, ambas no município do Cantá, receberam atendimento de prevenção ao câncer de colo de útero, mama, próstata e pele. A ação foi realizada neste sábado no Pólo-base da comunidade da Malacacheta e atendeu a 116 indígenas numa parceria da Coordenação Regional de Roraima (Core/RR) da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) com a equipe do Programa de Assistência Oncológica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e da Secretaria Municipal de Saúde do Cantá.

Segundo a coordenadora da ação e técnica do Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste (Dsei Leste), Célia Rios, essa primeira programação de oncologia serviu de modelo para as próximas ações que a Funasa pretende executar nas comunidades indígenas.

"Apesar do número de pacientes ter sido baixo, entendemos que essas pessoas que fizeram os exames servirão como multiplicadoras em suas comunidades e na próxima campanha teremos um número maior de procura", disse.

Ela explicou que alguns indígenas ficaram receosos quanto aos exames, mas outros encorajavam, como foi o caso do indígena Alfredo, de 93 anos, que se submeteu aos exames e deu exemplo aos mais novos. "Isso mostra que na próxima campanha a tendência é que a grande maioria participe da ação", disse.

Célia Rios informou que a Funasa fez campanha convidando todas as comunidades indígenas vizinhas a Malacacheta, tais como: Tabalascada, Canauamim, Lage, Campinho, Jacaminzinho, Capinarana e Barro Vermelho, que juntas correspondem a aproximadamente 2.250 indígenas, e por isso acreditava num comparecimento de aproximadamente mil índios.

"Mas a média está dentro do que planejamos, em especial aos 32 homens que se submeteram a exame de próstata", ressaltou.
Além disso, foram realizados 26 exames de pele, 29 de colo do útero e 29 de mama. Célia informou que os exames foram encaminhados para o Lacen e os resultados serão divulgados ainda esta semana.
"Os casos diagnosticados serão encaminhados para tratamento no Centro de Oncologia da Casa de Saúde do Índio (Casai) e para o HGR, com quem temos parceria", afirmou.

Na ação trabalharam mais de trinta profissionais de saúde, sendo seis médicos e um enfermeiro da Funasa, uma enfermeira da equipe de Oncologia da Sesau, uma enfermeira do CIR/Saúde, uma enfermeira da Secretaria de Saúde do Cantá, um técnico de enfermagem da Funasa, 17 Agentes Indígenas de Saúde (AIS) do CIR/Funasa e um técnico do setor de Operações da Funasa.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.