VOLTAR

Indígenas e extrativistas participam de oficina sobre manejo de quelônios em Rio Branco

Página 20 - www.pagina20.com.br
20 de nov de 2009

Teve início nesta quarta-feira (18), no Centro de Formação dos Povos da Floresta (CFPF), a oficina "Intercâmbio entre Manejadores de Quelônios". O evento é uma realização da Comissão Pró-Índio do Acre (CPI/AC), SOS Amazônia, Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A oficina é destinada a moradores de terras indígenas (TIs) e unidades de conservação que desenvolvem atividades de manejo de quelônios na sua comunidade. Participam do intercâmbio indígenas dos povos Manchineri e Jaminawa (TI Mamoadate), Kaxinawá (TIs Igarapé do Caucho e Kaxinawá do Rio Jordão) e Katukina (TI Katukina do Campinas), além de representantes da Reserva Extrativista do Alto Juruá e do Parque Nacional da Serra do Divisor.

O intercâmbio acontece até o dia 24 de novembro e tem como objetivo a troca de informações e experiências entre os participantes; a sensibilização dos manejadores para a importância da conservação da fauna para o ecossistema da Amazônia; e a capacitação em trabalhos de manejo.

Nesses sete dias de oficina, os representantes das terras indígenas e unidades de conservação abordarão as experiências de criação de quelônios desenvolvidas na comunidade. Haverá também apresentações dos trabalhos do Ibama e da Seaprof e uma palestra proferida pela SOS Amazônia sobre a biodiversidade na amazônica e a importância ecológica da fauna.

Durante o intercâmbio, os participantes visitarão a experiências de manejo na Estância da Terra e conhecerão os projetos da Associação SOS Quelônios, no rio Abunã - no município de Acrelândia - e Caboclinho da Mata, da Universidade Federal do Acre (Ufac) e Seaprof. Na tarde de sábado (21), participam de atividades práticas na criação de quelônios do Centro de Formação dos Povos da Floresta (CFPF).

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.