VOLTAR

Indígena de 12 anos foi morto no Oeste com pedaços de vidro, afirma delegado

ND Mais - https://ndmais.com.br
Autor: Willian Ricardo
31 de jul de 2019

Crime aconteceu no dia 20 de julho; corpo do menino foi achado às margens de estrada que dá acesso à Terra Indígena Xapecó, em Ipuaçu

O laudo cadavérico da morte do indígena Luan Ribeiro, de 12 anos, ainda não ficou pronto, mas o delegado que investiga o caso adiantou que o menino foi morto com pedaços de vidro.

O corpo dele foi encontrado na manhã de sábado, dia 20 de julho, às margens de uma estrada que dá acesso à Terra Indígena Xapecó, em Ipuaçu, no Oeste do Estado.

O homicídio está sendo investigado pela delegacia da Polícia Civil de Abelardo Luz. De acordo com o delegado Gustavo Altemar, houve atraso na conclusão do laudo do IML (Instituto Médico Legal) de Chapecó. No entanto, ele já obteve a confirmação da causa da morte, que foi provocada pelo objeto cortante.

Ainda de acordo com o delegado, familiares e lideranças indígenas já foram ouvidas, mas ainda há dificuldades para colher outros depoimentos. Até esta quarta-feira (31), nenhum suspeito havia sido preso.

O delegado considera que apesar das peculiaridades do caso, a investigação segue com bons resultados. "Estamos indo bem", disse. O inquérito policial tem um prazo de 30 dias para ser concluído, mas Altemar acredita que a data será prorrogada.
O caso

Luan foi encontrado morto por um morador às margens de uma estrada. O menino estava com cortes no pescoço.

A Terra Indígena Xapecó fica localizada em Ipuaçu, a cerca de 66 km de Chapecó, capital do Oeste de Santa Catarina. A comunidade tem cerca de 6 mil moradores e 15 mil hectares, que vão até o município de Entre Rios.

https://ndmais.com.br/noticias/indigena-de-12-anos-foi-morto-no-oeste-c…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.