VOLTAR

Indenização a agricultores prevista até 2006

Correio do Povo-Porto Alegre-RS
20 de out de 2005

O governo do Estado pretende entrar em acordo, até o final de 2006, com os caciques gaúchos de áreas remanescentes ocupadas por agricultores. É o que espera o secretário do Gabinete de Reforma Agrária e Cooperativismo, Vulmar Leite, ao anunciar que, se for cumprido o cronograma traçado para o pagamento de indenização dos agricultores remanescentes de reservas indígenas, não haverá saldo nenhum a ser reparado. 'Assim que a Secretaria da Fazenda liberar os recursos do cronograma de pagamentos, encaminhado, a pedido do governador Germano Rigotto, ao secretário substituto da Fazenda estadual, Ário Zimmermann, será possível dispor da verba para pagar os agricultores', acrescentou.
Leite garantiu que todas as áreas demarcadas como indígenas devem ser devolvidas aos seus moradores primitivos. Para isso, foi pedida a liberação de R$ 900 mil mensais, de novembro de 2005 a março de 2006, referente ao exercício deste ano, que serão suficientes para indenizar 157 famílias localizadas em Nonoai e Serrinha. Além disso, o cronograma prevê R$ 2,56 milhões para o reassentamento de 30 famílias na mesma região (344 hectares de terra), o que totaliza 187 famílias.

Leite informou que deverão restar 227 famílias para serem indenizadas ou reassentadas em 2006. 'Se esse número conseguir ser zerado, teremos cumprido mais uma meta do governo Rigotto', salientou. Enquanto não ocorrem as indenizações e os reassentamentos, Leite disse que algumas famílias ganham cesta básica do Estado, 'mas o Executivo não tem mais dinheiro para auxiliar na subsistência delas'.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.