VOLTAR

A improvisação destrói a Amazônia

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
02 de mai de 1989

Até o final do ano passado, as belezas da Amazônia eram um dos orgulhos nacionais. Desde a noite em que um tiro matou Chico Mendes o tema se tornou incômodo para o país. Em entrevista com o presidente do Ibama, Fernando César Mesquita, o cientista Alberto Stzer do Inpe e a antropóloga Mary Alegretti, presidente do IEA e o empresário e colonizados João Carlos Meirelles, o Estadão promoveu um debate em que o ponto de acordo entre todos foi que o principal inimigo da Amazônia é a improvisação.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.