VOLTAR

ICMBio apura mortes de onças na região do Pantanal e encontra arma em acampamento de pescadores em MT

G1 - http://g1.globo.com/
Autor: G1 MT
24 de abr de 2019

ICMBio apura mortes de onças na região do Pantanal e encontra arma em acampamento de pescadores em MT
24/04/2019 14h47

Por G1 MT

Instituto recebeu denúncia anônima de que o armamento era usado para matar onças na reserva ecológica. Nenhuma pessoa foi presa e polícia foi comunicada sobre a arma.

Uma arma que teria sido usada para caçar e matar onças-pintadas na região do Pantanal, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, foi apreendida por analistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Nenhuma pessoa foi presa.

A denúncia foi recebida pelo instituto no dia 17 de abril e a arma - uma espingarda calibre 24 - foi encontrada na segunda-feira (22). Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil nessa terça-feira (23).

A situação ocorreu na Estação Ecológica Taiamã, no Rio Paraguai. A reserva é uma Unidade de Conservação Federal, procurada por turistas do Brasil e do mundo que vão ao Pantanal para observar a natureza e a fauna.

Uma onça-pintada foi encontrada morta no mês de março perto do mesmo acampamento. Segundo o ICMBio, um passageiro de uma embarcação navegada pelo Rio Paraguai quando viu o animal, em avançado estado de decomposição, boiando no rio.

O chefe da estação ecológica disse à polícia que foi até o local com analistas e fiscais do instituto depois que receberam uma denúncia anônima. A denúncia afirmava que nesse local havia uma arma que era utilizada para matar onças-pintadas na reserva.

No local, um acampamento de pescadores profissionais, a arma foi encontrada. A espingarda seria de um amigo de um pescador que atua no acampamento.

A arma foi levada para a Polícia Civil de Cáceres, que apura a denúncia.

https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019/04/24/icmbio-apura-mor…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.