VOLTAR

Ibama ignora Inpe e usa sistema de empresa que visitou Salles para justificar licitação

O Globo, Sociedade, p. 24
05 de set de 2019

Ibama ignora Inpe e usa sistema de empresa que visitou Salles para justificar licitação
Órgão do Meio Ambiente afirma precisar de monitoramento de florestas mais preciso e ágil, e usa modelo americano como exemplo; especialistas dizem que problema não está na vigilância por satélite, mas na falta de ações em terra
Leandro Prazeres

BRASÍLIA - Documentos obtidos pelo GLOBO mostram que o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis ( Ibama ) usou o sistema de uma empresa privada que fez visitas ao ministro do Meio Ambiente , Ricardo Salles , como parâmetro para justificar a necessidade de contratar um novo serviço de monitoramento de florestas por satélite.

Os documentos mostram ainda que o Ibama não consultou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais ( Inpe ) sobre o processo de licitação que está sendo preparado para a contratação do novo sistema.

No mês passado, o Ibama divulgou um edital de chamamento público para prospectar eventuais fornecedores de serviços de monitoramento de solo via satélite.

O chamamento é uma fase anterior a uma eventual licitação para a contratação de um produto ou serviço. O custo anual estimado para a contratação desse novo sistema de monitoramento é de R$ 7 milhões.

Após o lançamento do edital do Ibama, o MPF no Pará abriu um inquérito para apurar as razões do órgão para querer adquirir o serviço. Os procuradores querem identificar os motivos do Ibama para substituir os sistemas operados pelo Inpe.

Os documentos obtidos pela reportagem são dois ofícios enviados pelo Inpe e pelo Ibama aos procuradores.

Identificação mais precisa
Atualmente, o Ibama utiliza dados de dois sistemas operados pelo Inpe: o Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real (Deter) e o Sistema de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes). O primeiro fornece alertas de desmatamento para ações do Ibama; o segundo faz o cálculo anual da área desmatada.

No ofício enviado pelo Ibama, o presidente do órgão, Eduardo Fortunato Bim, diz que os sistemas do Inpe, mais antigos, não teriam capacidade de identificar desmatamentos menores ou em suas fases iniciais.

O Globo, 05/09/2019, Sociedade, p. 24

https://oglobo.globo.com/sociedade/ibama-ignora-inpe-usa-sistema-de-emp…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.