VOLTAR

Ibama aplica mais de R$ 7 milhões em multa no Pará

Portal Amazônia
08 de mai de 2008

O Ibama de Santarém multou uma empresa madeireira e um Plano de Manejo Florestal (PFMS) em Prainha, no oeste do Pará, onde se estuda criar a Reserva Extrativista Renascer. Somadas, as multas aplicadas ultrapassam R$ 7 milhões. O grande volume de madeira recebida ou vendida irregularmente também levou ao embargo das atividades da empresa.

As autuações são resultados da Operação Resex Renascer. A empresa e os Planos de Manejo foram notificados e tiveram que apresentar toda a documentação de origem e transporte de madeira. Foram detectadas irregularidades nas guias florestais, que acobertavam volumes de madeira muito superiores ao permitido na legislação de trânsito e à capacidade de carga dos veículos.

A empresa foi autuada por receber mais de 37 mil metros cúbicos de madeira sem autorização válida e o PMFS recebeu multa por vender a mesma quantidade de madeira sem licença, uma vez que foram desconsideradas as guias florestais apresentadas.

Luta

De acordo com o Ibama, na área onde estão instalados a empresa autuada e o PMFS, há anos a população luta pela criação da Reserva Extrativista Renascer. Já foram feitos os estudos sócio-ambientais necessários e a consulta pública para a criação da Unidade de Conservação foi realizada no dia 13 de dezembro de 2007. Hoje o processo de criação da Resex aguarda resolução de pendências no Instituto Chico Mendes.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.