VOLTAR

Ibama admite não ter como vigiar o mogno

Gazeta Mercantil, p.C7 (São Paulo - SP)
05 de ago de 2002

O Ibama alegou que não tem condições econômicas nem infra-estrutura para vigiar permanentemente as toras de mogno que boiam no rio Xingu, no sul do Pará, amarradas em cabos de aço, desde que foram apreendidas por fiscais do órgão.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.