VOLTAR

Guerra entre índio e branco já matou 200

O Globo (Rio de Janeiro - RJ)
Autor: Amaury Ribeiro Jr
13 de out de 1996

A notícia trata do histórico conflito entre sertanistas da Funai, funcionários da Petrobrás e de empreiteiras e indígenas que vêem suas terras frequentemente invadidas.

Com bordunas e tiros, a Guerra que a floresta esconde

A notícia relata episódios dos conflitos entre os Korubo e os "brancos" principalmente os madeireiros. Também o risco que corre esta etnia de ser dizimada, uma vez que são frequentes os ataques a eles e invasões de suas terras. Não se sabe quantos indígenas já morreram. Embora sejam pejorativamente chamados por alguns de "caceteiros" moradores da região defendem que só se tornaram violentos depois de começarem a serem incomodados pelos "brancos".

Uma guerreira loura entre os violentos korubos

A notícia informa sobre uma guerreira loura, Korubo inimiga dos madeireiros. Acredita-se que ou ela é Vera Lúcia, raptada em 22 de Setembro de 1969 ou Isa Costa raptada em 05 de Agosto do mesmo ano. De acordo com o Departamento de Índios Isolados da Funai há mais duas meninas raptadas na década de 70. Há um relato sobre conflitos e sobre a possibilidade dos indígenas serem canibais, no entanto como ressalta Sidney Possuelo, essa afirmação é veiculada pelos madeireiros que criam esse mito para justificar os massacres. Além disso trata da defesa dos Korubo de suas terras, assim, diz a notícia, conseguem demarcar suas terras através da borduna.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.