VOLTAR

Governo tentará impedir extinção da cultura carajá

O Estado de São Paulo (São Paulo, SP)
Autor: Eliana Lucena
03 de jul de 1977

Processo de desagregação entre índios da aldeia de Santa Isabel do Morro, influenciado pela construção do antigo hotel Juscelino Kubitschek na Ilha do Bananal, e pelo turismo na região. A notícia cita os altos indíces de prostituição, alcoolismo e tuberculose entre os Karajá da aldeia; os jovens da aldeia preferem manifestações culturais não-indígenas do que as Karajá. Além disso, os índios são discriminados nas cidades mais próximas, como São Félix. Os chefes indígenas Arutana e Maluaré vêem com pesar a forma como os índios vivem em contato com os não-índios. O ministro do Interior determina o Projeto Bananal, que visa atender aos problemas mais urgentes das comunidades indígenas da região: os Karajá de Santa Isabel do Morro, Fontoura (exploração dos índios por missão adventista) e de Macaúba (conflito fundiário em área de reserva florestal) e os Tapirapé (conflito fundiário com empresas agropecuárias). Sidney Possuelo afirma que será uma tarefa difícil conseguir a liberação das terras dos Karajá, invadidas por grandes fazendas de gado.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.