VOLTAR

Governo fará operação antimilícias no Estado

OESP, Nacional, p. A7
14 de fev de 2006

Governo fará operação antimilícias no Estado

O governo federal desencadeará, até março, uma megaoperação na Terra do Meio, no Pará, para desarmar milícias de jagunços formadas por madeireiros e grileiros e conter a nova onda de hostilidades na região. A informação foi dada ao Estado pelo secretário-executivo do Ministério da Justiça, Luiz Cláudio Barreto, que foi a Anapu participar da celebração, anteontem, do primeiro aniversário de morte da religiosa Dorothy Stang, assassinada a tiros.
Segundo Barreto, o clima de tensão é generalizado e requer a presença ostensiva de forças federais. Há pelo menos 48 pessoas juradas de morte sob proteção policial. A primeira operação foi desencadeada logo após a morte da freira, com a participação das Forças Armadas, mas a presença federal se desmobilizou e a situação voltou a ficar tensa. Os sindicatos de madeireiros e fazendeiros, com apoio da União Democrática Ruralista (UDR) e da Federação da Agricultura do Estado do Pará (Faepa), ameaçam resistir à bala às medidas contra o desmatamento e a grilagem.
Uma das medidas é o decreto que tornou estação ecológica intocável uma área de 3,7 milhões de hectares, quase dois Estados de Sergipe, cheia de fazendas e com quase meio milhão de cabeças de gado. Para complicar, os colonos de Anapu estão divididos quanto à adesão ao Projeto de Desenvolvimento Social (PDS), modelo de assentamento de inspiração socialista pelo qual irmã Dorothy lutou.

OESP, 14/02/2006, Nacional, p. A7

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.