VOLTAR

Genética prova antiguidade de habitantes do continente

O Estado de S. Paulo (São Paulo - SP)
Autor: Martha San Juan Franca
27 de jul de 1991

O geneticista Francisco Mauro Salzano, do Instituto de Biociências da UFRGS, revelou novas evidências da presença humana na América muito antes do que a teoria vigente admite. Ele comparou os anticorpos no sangue de 30 povos indígenas (incluindo Xavante, Suruí, Zoró, Wai-wai) e obteve resultados que indicam que há cerca de 30 mil anos já existiam humanos no continente, muito antes dos 12 mil anos comprovados pelos pesquisadores estadunidenses. Isto corrobora a pesquisa da brasileira Niede Guidon, que encontrou no Piauí vestígios que remontam a 48.500 anos. Salzano também coletou amostras de sangue dos Yanomami, na década de 1970, mas por falta de apoio técnico, não conseguiu coletar o DNA - cientistas norte-americanos agora querem completar o trabalho.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.